Vale a pena investir em telefonia fixa?

4 minutos para ler

Vivemos hoje em um cenário no qual qual o uso de aparelhos de telefonia móvel é popularizado mundialmente. No Brasil, por exemplo, o número de linhas de celular é maior que a população nacional. Esse número cresceu consideravelmente ao longo do tempo, e, neste contexto, sempre surge a dúvida: ainda vale a pena investir em telefonia fixa?

O telefone fixo sempre possuiu um papel importante  dentro dos lares brasileiros, sendo, por muito tempo, o principal meio de comunicação disponível para a população. Com o passar dos anos, novas tecnologias como a internet e os celulares ganharam maior relevância na vida das pessoas, e os aparelhos de telefonia fixa perderam o lugar de destaque que possuíam anteriormente.

A telefonia fixa no Brasil

Mesmo nesse cenário, a telefonia fixa ainda configura como uma tecnologia amplamente usada no Brasil. No último trimestre de 2018, o número de linhas em uso no país foi de aproximadamente 38,8 milhões, sendo esse valor equivalente a 18,5 aparelhos para cada 100 habitantes. Esse número é mais modesto se comparado ao de celulares, que atingiu o índice de 111, 84 linhas móveis usadas na mesma data.

Porém, dentro desses números, basta ressaltar algumas diferenças na visão e no consumo desses serviços. Ao passo que cada pessoa possui, geralmente, o seu próprio aparelho de celular, o telefone fixo é frequentemente  usado para a residência, explicando um pouco a diferença desses números.

As vantagens de possuir um telefone fixo em casa

Mesmo inserido nessas circunstâncias de pouco foco e destaque em nossa sociedade, a telefonia fixa ainda entrega várias vantagens para a população. Algumas funções e características específicas desse tipo de telecomunicações são  úteis no dia a dia. Eles são uma garantia a mais e um meio de comunicação considerado “oficial” nas residências, podendo assumir o papel de central de chamadas mais burocráticas.

plano de internetPowered by Rock Convert

Outra característica relevante desse modelo é a estabilidade que ele garante perante as linhas móveis. Por estar ligado por meio de um cabo à rede de telefones, ele sofre menos instabilidade diante de fatores externos. Intempéries e mudanças no ambiente podem provocar a queda do sinal nos celulares, problema que não atinge os aparelhos fixos.

Os smartphones estão cada dia mais tecnológicos, porém, há um problema que ainda assola a vida útil desses aparelhos: a bateria. Caso falte energia em sua casa, em algum momento a bateria do celular vai acabar e não será possível contatar ninguém por meio dele. Esse é um problema que não atinge os aparelhos fixos, por exemplo. É possível realizar ligações tranquilamente mesmo sem estar ligado à energia.

Além disso, os aparelhos fixos são mais baratos, e mesmo os modelos mais simples atendem às suas funções, tendo uma vida útil longa se bem cuidado. O mesmo já não se aplica aos celulares, pois, além de serem mais caros, existe, ainda, o problema da obsolescência programada, em que o produtor decide, propositalmente, desenvolver um produto que se tornará não-funcional em um tempo determinado, forçando a troca para um aparelho mais moderno e tornando a vida útil dos celulares mais curta.

Por último, existe o fator da economia em ligações. O valor do minuto na telefonia fixa costuma ser mais em conta do que o da móvel. Isso também se aplica ao modo de contratação dos serviços, já que a maioria das operadoras oferece combos de produtos que possuem, muitas vezes, um ótimo custo-benefício e opções de telecomunicações, incluindo o telefone fixo.

Vale a pena mesmo investir?

Com todas essas características em mente, fica claro que a presença da telefonia fixa ainda é relevante nos lares brasileiros. É importante  avaliar as necessidades de todos na casa e colocar os gastos na ponta do lápis. Pense na contratação de um combo para esse serviço e defina se sua casa irá ou não possuir um telefone fixo. Neste texto explicamos as vantagens e desvantagens de se adquirir produtos combinados.

Posts relacionados